Fraude Durante a Pandemia [5 Tendências]

COVID-19 has quickly changed consumer behavior allowing new opportunities for fraud.

No esforço para conter a COVID-19 muitas transações foram para o on-line, mudando drasticamente o comportamento do consumidor e exigindo que as empresas construíssem canais digitais para sobreviver. Os consumidores se voltaram para o comércio eletrônico, comprando tudo, desde mantimentos até equipamentos de ginástica, aumentando o número de transações digitais processadas. Como o comércio eletrônico e móvel se tornaram os canais dominantes para os varejistas, os emissores de cartões de crédito e as empresas de comércio eletrônico relaxaram seus controles de fraude e aumentaram os limites das transações a fim de evitar a criação de fricções. O uso de pagamentos digitais e aplicativos bancários online também se tornou a solução ideal para pagamentos e transações bancárias sem contato durante a pandemia. Além disso, as pequenas empresas foram forçadas a se levantar rapidamente em lojas on-line e lançar aplicativos móveis para se manterem no negócio. 

Com estas mudanças houve um aumento das fraudes, pois os golpistas se esconderam por trás do caos criado pela mudança de comportamento para executar ataques mais freqüentes e eficientes. De acordo com um relatório do Aite Group, as instituições financeiras que anteriormente haviam previsto uma diminuição de 8% nas fraudes este ano estão projetando agora um aumento de mais de 20% nas fraudes em 2020, um salto notável. A COVID-19 trouxe uma explosão de novos esquemas de fraude e revigorou antigas técnicas. Estas são as principais tendências de fraude que estamos vendo:

Golpes de Engenharia Social

Phishing, o tipo mais comum de golpe de engenharia social, está em ascensão à medida que os fraudadores se aproveitam da rápida mudança de comportamento devido à COVID. Estes golpes são concebidos para manipular as pessoas para realizar uma ação ou dar informações pessoais, e ocorrem em vários canais, mais freqüentemente em mídias sociais e e-mail. As informações obtidas através destes golpes permitem outras formas de fraude, incluindo fraude de abertura de conta nova, fraude em compras em e-commerce, roubo de identidade, fraude de roubo de conta e várias formas de fraude de transação.

Fraude na Abertura de Conta

A fraude de abertura de conta, também conhecida como fraude de novas contas, é uma forma de roubo de identidade que custa às instituições financeiras milhões a cada ano. A forma mais difícil de fraude de aplicação a ser detectada é quando um atacante usa informações pessoalmente identificáveis roubadas ou cria uma identidade sintética para solicitar uma conta bancária, cartão de crédito, empréstimo ou compra em e-commerce. Os pedidos fraudulentos de cartão de crédito são a forma mais comum de fraude de cartão de crédito nos EUA, com 88% de crescimento ano a ano, de acordo com a Ascent. A autenticação facilitada em resposta à rápida mudança para o trabalho digital e remoto, além de fraudes no programa de auxílio emergencial concedido pelo governo brasileiro e além de outros pelo mundo, levaram a uma proliferação de fraudes nas aberturas de conta.

Roubo de Identidade

O roubo de identidade ocorre quando os fraudadores roubam informações pessoais para cometer fraude financeira, tais como fraude de cartão de crédito e de solicitação de empréstimo. Vazamentos de dados e roubo de informações pessoais, tais como número da carteira de motorista, endereços ou números de CPF, estão permitindo novas formas de fraude de identidade, tais como identidade sintética, projetada para parecer um usuário legítimo e desviar de métodos de verificação.

Roubo de Conta

A TransUnion informou um aumento de 347% em casos de roubo de conta (ATO) de 2018 a 2019. Mais recentemente descobriram que 22% dos adultos americanos foram alvo de fraudadores digitais, pois aproveitam o caos criado pela COVID-19, frequentemente para roubar credenciais através de esquemas de phishing com o objetivo de Account Takeover. Este tipo de fraude aumentou significativamente desde que a COVID-19 começou com o aumento do volume de transações digitais, tornando mais fácil para os golpistas se esconderem.

Cartão Não Presente

As medidas de distanciamento social implementadas durante a COVID - 19 mudaram drasticamente o comportamento de compra. Muitas pessoas estão comprando remotamente - seja online, pelo celular ou por telefone - sem usar um cartão físico. A Finserv Analytics informa que as transações com Cartão Presente (CP) diminuíram 32% entre fevereiro e março com as compras com Cartão Não Presente (CNP) representando a maioria das transações desde então. Os fraudadores estão aproveitando este novo comportamento para misturar atividades criminosas com as de usuários legítimos.

As mudanças comportamentais aceleradas pela COVID-19 vieram para ficar, e os profissionais de negócios e segurança precisam estar cientes do aumento das fraudes. Leia mais sobre as tendências de fraude da COVID-19 em nosso novo white paper, Fraude nos Tempos da COVID-19. 

Leia nosso White Paper

 

Mais recentes

O usuário já escolheu seu app preferido para pagar com o PIX

A melhoria na experiência do usuário resultará sem dúvida no aumento de conversão para os apps na rede do PIX, e é o fator que determina o app vencedor.

Segurança de contas digitais à prova de erros humanos

Implemente dados dinâmicos em suas decisões de risco para evitar afastar bons clientes e por roubo de conta resultante da engenharia social.

Quanta fricção é demais no uso de um app?

Um UX simples é chave para um usuário fiel de app. Como eliminar ações do usuário, retirando fricção e melhorando UX, e manter funcionalidades essenciais?